Quarta-feira, 29 de Julho de 2015

horta.jpg

 Ambiente e Agricultura Biológica de mãos dadas para um Portugal mais sustentável.

A Quercus e a Agrobio assinam hoje, dia 17 de Julho de 2015, pelas 12h00, no Museu de Numismática, em Vila Real, um protocolo de colaboração em defesa do Ambiente e da Agricultura Biológica.

Juntar esforços em prol de um melhor Ambiente em Portugal é o objetivo partilhado das entidades que se unem neste protocolo, perspetivando uma cooperação estreita e o reforço de ações em defesa de causas comuns.

Num momento em que se assiste a um crescimento da Agricultura a nível nacional, é fundamental que este incremento se faça sem prejuízo do Ambiente. A produção de alimentos saudáveis, respeitando os ecossistemas e a biodiversidade, é possível através de modos de produção amigos do Ambiente, de que a Agricultura Biológica é um modelo, devidamente certificado, de acordo com legislação própria a nível europeu. Num mundo como o de hoje, a Agricultura Biológica não é um regresso ao passado, como muitas vezes é criticada. Os agricultores biológicos são a vanguarda da defesa do ambiente e da saúde.

Respeitando os princípios da Ecologia, subjacentes a este modo de produção, é possível a obtenção de alimentos e fibras de qualidade, passíveis de maior valorização no mercado interno e externo, contribuindo para o crescimento económico do nosso País.

AGROBIO e a Quercus juntam-se, assim, para cooperar em ações que visam a conservação dos recursos naturais como a água e o solo, a promoção de zonas livres de OGM’s e de pesticidas, bem como a promoção, produção e consumo de produtos de Agricultura Biológica. Na certeza de que um futuro verde tem de ter por base uma agricultura respeitadora do Ambiente, não poluente e conservadora dos recursos naturais. E de que, somente garantindo a saúde dos ecossistemas podemos garantir a saúde das gerações atuais e futuras.

 

http://www.quercus.pt/comunicados/2015/julho/4371-quercus-e-agrobio-assinam-protocolo-de-cooperacao

publicado por escolaverde às 10:29


rbq_1.jpg

No próximo dia 28 de Julho, data em que se assinala o Dia Nacional da Conservação da Natureza, a Quercus juntamente com outras ONGAS  que apoiaram esta petição (FAPAS, LPN e SPEA), vão entregar a petição Rola-brava em extinção - Proibição da caça já!, dirigida à Ex. ma Sra. Ministra da Agricultura e do Mar, Dra. Assunção Cristas.

A Rola-comum ou rola-brava (Streptopelia turtur) é uma espécie migradora que está a desaparecer a um ritmo galopante e preocupante em Portugal e na Europa, estimando-se que a sua população tenha decrescido 70% nos últimos 10 anos.

Para piorar a situação, em Portugal é comum a abertura da caça à rola ser durante o mês de Agosto, período durante o qual existem muitas rolas em nidificação, com crias no ninho e, pontualmente, ovos de posturas tardias ou segundas posturas.

As várias ONGAS que subscrevem esta petição, que conta com o apoio de mais de 5000 subscritores, consideram que a irresponsabilidade e insensibilidade demonstrada nesta matéria pelos sucessivos governos pode contribuir, no curto prazo, para uma situação de extinção da Rola-brava em Portugal.

 

http://www.quercus.pt/comunicados/2015/julho/4400-ongas-entregam-a-ex-sra-ministra-da-agricultura-e-do-mar-peticao-proibicao-da-caca-ja-sobre-rola-brava-em-extincao

 

publicado por escolaverde às 10:26


CatA_1lugar_concursofoto.png

Dirigido a todos os fotógrafos nacionais teve início, no passado dia 24 de julho, um dos mais importantes concursos de fotografia de natureza a nível nacional.

 A concurso estão as categorias “Agricultura e Natureza ”, “Insetos e Outros Antrópodes” e “Aves”, a que acresce ainda o “Prémio Especial BMW i”, este ano dedicado ao tema “Paisagens Fluviais”.

Para além dos prémios monetários atribuídos nas várias categorias aos concorrentes melhor classificados, destaca-se a atribuição do Prémio Especial BMW i, que dá aos premiados a possibilidade de conduzir um automóvel BMW i3 durante 10 dias com 2 dias de alojamento no hotel L’and Vineyards em Montemor-o-Novo,  Évora.

As fotografias deverão ser enviadas para o website do Concurso acessível em http://concursodefotografiaquercus.pt/ até ao dia 31 de outubro e os resultados serão conhecidos no mês de Novembro.

Nesta 2ª edição, Quercus e BMWi pretendem atingir um número cada vez maior de participantes com o intuito de promover e divulgar a fotografia de natureza como forma de sensibilizar os cidadãos para as questões do ambiente, da conservação e da biodiversidade.

No âmbito das Comemorações Nacionais do 30º Aniversário da Quercus, as 60 fotografias premiadas formarão ainda uma exposição itinerante que percorrerá o país ao longo do ano de 2016.

 

http://www.quercus.pt/comunicados/2015/julho/4399-concurso-de-fotografia-quercus-bmwi-2a-edicao

publicado por escolaverde às 10:22


Obras_praia_d_ana.jpg

 A Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza informa que procedeu à suspensão da classificação "Qualidade de Ouro", atribuída à Praia de Dona Ana, no concelho de Lagos, no Algarve, por considerar que as recentes intervenções realizadas colocam em causa o equilíbrio ambiental e paisagístico que deve nortear a atribuição deste galardão.

As recentes intervenções efectuadas nesta praia, com um custo base de 1,8 milhões de euros, compreenderam a recarga artificial numa extensão de 40 m, a construção de um esporão para retenção de sedimentos e a consolidação de arribas. Para além de alterarem significativamente a paisagem natural característica da Praia da Dona Ana, colocam em causa a conservação e a protecção de ecossistemas marinhos de elevada biodiversidade, nomeadamente a destruição de dois roteiros subaquáticos identificados pela Universidade do Algarve.

 

A Quercus considera que estas intervenções devido ao seu custo elevado e ao seu carácter temporário não se justificam. A segurança dos utentes não passa pela destruição da beleza paisagística das nossas praias, mas por campanhas de sensibilização e por limitar o número de utentes por praia, medida fundamental em praias de arribas instáveis, como é o caso da Praia de Dona Ana.

 

É importante ainda salientar que, a crescente construção de hotéis e habitações privadas em domínio público hídrico, reflecte o deficiente ordenamento do território na região do Algarve, constituindo a grande causa para a degradação das arribas. É necessário minimizar os impactes que advêm da erosão das arribas e a requalificação das praias, porém, consideramos importante a rápida atuação do poder político no sentido de proibir e instaurar a retirada de habitações que se encontram em zonas assinaladas com elevado perigo de derrocada.

 

Por fim, a Quercus volta a informar que a classificação “Qualidade de Ouro” atribuída às praias nacionais em 2015 foi exclusivamente baseada na análise à qualidade da água realizada pela APA – Agência Portuguesa do Ambiente. Contudo, esclarece que não pode deixar de tomar em conta acontecimentos como o da Praia de Dona Ana, que colocam em causa o equilíbrio ambiental e paisagístico, e informa que outros casos excepcionais como este serão devidamente analisados, no sentido de se ponderar semelhantes suspensões do galardão atribuído.

 

http://www.quercus.pt/comunicados/2015/julho/4401-quercus-suspende-classificacao-qualidade-de-ouro-atribuida-a-praia-de-dona-ana-no-algarve

 

publicado por escolaverde às 10:19

Terça-feira, 21 de Julho de 2015

DSC_0323.JPGDSC_0391.JPG

DSC_0342.JPGDSC_0394.JPG

DSC_0783.JPGDSC_0306.JPG

 

 

 

 

 

 

 

publicado por escolaverde às 18:43


DSC_0474.JPGDSC_0483.JPG

DSC_0630.JPGDSC_0211.JPG

No passado dia 16 de julho, pelas 10h, decorreu, na Biblioteca Municipal, a apresentação de um projeto do traçado de uma nova etapa do Caminho de Santiago. A apresentação esteve a cargo do Eng.º Mouro Pinto e da aluna, Mariana Rodrigues, finalista do Curso de Turismo Ambiental e Rural da Escola Secundária de Cinfães.

Inserido no âmbito das Provas de Aptidão Profissional da Escola Secundária/3 Prof. Dr. Flávio F. Pinto Resende, este projeto contou com a presença do Sr. Vice-presidente da Câmara Municipal de Cinfães, Dr. Serafim Rodrigues, como elemento do júri de avaliação final das PAP anteriormente referidas.

Com efeito, um grupo de trabalho constituído por alunos do Curso de Turismo Ambiental e Rural, contando com a colaboração do Eng.º Mouro Pinto e com a coordenação do Prof. António Portocarrero, procedeu ao trabalho de identificação e marcação de um percurso, que atravessa o concelho de Cinfães, de sudeste para noroeste, ao longo de todo o vale do Bestança e que poderá ser inscrito como uma nova etapa do Caminho de Santiago.

Com esta apresentação pública pretendemos dar visibilidade a um projeto que, quando definitivamente implantado, se tornará uma mais-valia para o nosso concelho.

Aproveitamos a oportunidade para expressar os nossos mais sinceros agradecimentos, à Dra. Elizabete Reto e a toda a equipa da Biblioteca Municipal, que se têm mostrado sempre disponíveis e colaborativos nas atividades que temos levado a cabo neste espaço municipal.

 

 

publicado por escolaverde às 18:32

Domingo, 05 de Julho de 2015

2015-07-01-refinaria-Galp-1.jpg

 A taxa de dependência energética cifrou-se em 71% em 2014, prolongando a tendência de descida que já se tinha verificado no ano anterior.

A dependência energética que Portugal tem do exterior voltou a recuar no ano passado, cifrando-se em 71%, segundo os últimos dados publicados pela Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG). É um novo mínimo histórico na série de resultados publicados pela DGEG desde 1995. 

De acordo com a DGEG o nível de dependência energética de Portugal face ao exterior caiu de 73,7% em 2013 para 71% em 2014. E, segundo a mesma entidade, isso "deveu-se sobretudo à redução das importações de gás natural e petróleo, resultante da redução de consumo no sector energético". 

A dependência energética de Portugal tem vindo a recuar na última década. O indicador rondava os 89% em 2005, assumindo uma trajetória de queda até 2010, quando chegou a 76,1%. Em 2011 o índice voltou a subir, para 79,4%, nível que manteve em 2012, para em 2013 e 2014 descer para os patamares mais baixos em pelo menos duas décadas.

No consumo de energia final em Portugal em 2014 o petróleo manteve a posição dominante, com um peso de 55,1%, seguido da eletricidade, com 26,9%. O gás natural assumiu um peso de 10,7% e a biomassa representou 5,9% do consumo de energia final.

http://expresso.sapo.pt/economia/economina_energia/2015-07-01-Portugal-baixa-para-novo-minimo-historico-a-sua-dependencia-energetica-do-exterior

publicado por escolaverde às 11:20


mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
30
31


Últ. comentários
bom trabalho
Gostei muitos de poder ajudar a fazer este trabalh...
Gostei muito do nosso trabalho obrigado a quem gos...
Gostei muito do trabalho elaborado pela nossa turm...
Quero agradecer o texto ,pois estamos todas de par...
Muito obrigado pela oportunidade que nos deram. e ...
Gostei muito do nosso trabalho obrigada por terem ...
Gostei muito do nosso trabalho obrigado por também...
Eu gostei muito do nosso trabalho. Obrigada por t...
Muito giro o nosso trabalho. Obrigada a toda gente...
subscrever feeds