Segunda-feira, 30 de Novembro de 2015

Com 196 países na mesma sala, chegar a um acordo nas negociações climáticas das Nações Unidas é uma dor de cabeça, ainda mais porque as decisões têm de ser aprovadas por consenso. Eis alguns dos principais protagonistas e o que levam na bagagem para Paris.

Estados Unidos
Obama tornou-se num líder climático, invertendo a imagem dos EUA como força de bloqueio. Em Copenhaga, promoveu a solução agora em vigor, em que são os países a dizer o que vão fazer, e não a ONU a impor metas. Em 2014, deu as mãos à China. E tem compromisssos concretos de redução do CO2. Obama quer um acordo em Paris que prescinda da sua ratificação pelo hostil Congresso, que nunca o faria.

Contribuição: reduzir as emissões em 26-28% até 2025, em relação aos níveis de 2005

China
A China sempre se escudou no grupo dos países em desenvolvimento para evitar compromissos, enquanto crescia em ritmo galopante. Agora rendeu-se à evidência de que tem a segunda maior economia do mundo, é o principal emissor global de CO2 e precisa de acabar com a poluição. De mãos dadas com Obama no clima, o Presidente Xi Jinping faz de Paris um palco para a China na diplomacia ambiental.

Contribuição: reduzir as emissões por unidade de PIB em 60-65% em relação a 2005, até 2030. Atingir o pico de emissões nessa data, ou antes, e depois comear a baixá-las.

União Europeia
Ensombrada pela dupla EUA-China, a UE advoga agora o papel de lider “pelo exemplo”. Mas a sua ambiciosa política climática nunca foi suficiente para convencer o mundo a seguir o mesmo caminho. A UE quer em Paris um acordo vinculativo, com reforço progressivo da sua ambição. Vai aplicar aí a sua influência e as boas pontes que tem com os países mais pobres. Mas tem as suas próprias divergências internas.

Contribuição: redução das emissões em pelo menos 40% até 2030, em relação a 1990.

França
A grande missão de François Hollande é evitar que Paris repita o fracasso de Copenhaga em 2009. Mas o Governo preparou tudo ao milímetro, mobilizando a sua potente máquina diplomática em todo o mundo, e é grande a possibilidade de um acordo.

Contribuição: incluída na da UE

http://www.publico.pt/ecosfera/noticia/quem-e-quem-um-guia-dos-interesses-nas-negociacoes-climaticas-1715933

publicado por escolaverde às 13:01

Sexta-feira, 27 de Novembro de 2015

DSC_0585.JPG

DSC_0593.JPG

DSC_0612.JPG

DSC_0601.JPG

No âmbito das atividades a desenvolver durante a Semana da Reflorestação Nacional, decorreu, no dia 27 de novembro de 2015, no espaço contíguo à loja de turismo, uma ação simbólica de plantação de árvores autótenes, que contou com a presença ativa do Sr. Vice Presidente da Câmara Municipal de Cinfães, Dr. Serafim Rodrigues.

No espaço referido, foram plantados vários sobreiros e uma oliveira. A organização do evento foi da responsabilidade do Clube do Ambiente, da Escola Secundária/3 Prof. Dr. Flávio F. Pinto Resende, que contou com a colaboração ativa dos alunos da turma do 1º ano do Curso Técnico Profissional de Instalações Elétricas.

Com o desenvolvimento desta atividade pretendeu-se sensibilizar e incentivar a comunidade cinfanense, para a redução da pegada de carbono, através da valorização das espécies autótenes como agentes valorizadores da paisagem e potrenciadores de um ambiente mais sustentável.

 

publicado por escolaverde às 14:26

Quinta-feira, 26 de Novembro de 2015

DSC_0537.JPG

DSC_0538.JPG

DSC_0544.JPG

DSC_0569.JPG

DSC_0570.JPG

DSC_0574.JPG

No âmbito das atividades a desenvolver durante a Semana da Reflorestação Nacional, decorreu, no dia 26 de novembro de 2015, no pavilhão polivalente da Nossa Escola,  um conjunto de atividades que se iniciaram com um momento de sensibilização ambiental, teatralisado pelos alunos, Diogo Calhandro, Diogo Cardoso, João Rodrigues, Jorge Figueiredo, Paulo Sousa e Luís Gonçalves, do 9º ano, do Curso Vocacional de Artes e Multimédia, seguido de uma ação de sensibiliuzaçao para o bem estar animal, promovida pela Clínica Veterinária de Cinfães.

O momento difícil que vivemos, como vítimas do terrorismo que, um pouco por todo o Mundo, tem trazido dor e sofrimento a tanta gente, foi lembrado através da recitação de poesia, pelas alunas Cláudia Costa e Rure Andrade e da audição da Marselhesa, como forma de solidariedade com os parisienses, vítimas desta praga que tanto nos atormenta.

            A organização do evento foi da responsabilidade do Clube do Ambiente, da Escola Secundária/3 Prof. Dr. Flávio F. Pinto Resende, que contou com a colaboração ativa dos alunos da turma do 9º ano, do Curso Vocacional de Artes e Multimédia e do 1º ano do Curso Técnico Profissional de Instalações Elétricas.

Com o desenvolvimento destas atividades pretendeu-se sensibilizar e incentivar a comunidade educativa, para as questões ambientais, para o bem estar e saúde animal e para a solidariedade com todos aqueles que são vítimas do terrorismo. Estamos convencidos que, esta abordagem holistica do ambiente, é estruturante de comportamentos e atitudes que queremos desenvolver na nossa comunidade educativa.

publicado por escolaverde às 16:19


DSC_0508.JPG

DSC_0520.JPG

No âmbito das atividades a desenvolver durante a Semana da Reflorestação Nacional, decorreu, no passado dia 23 de novembro de 2015, na Biblioteca Municipal de Cinfães, uma palestra, proferida pelo Sr. Vice Presidente da Câmara Municipal de Cinfães, Dr. Serafim Rodrigues, que se debruçou sobre a temática da importância da floresta e da alimentação sustentável como agentes potenciadores do desenvolvimento local. Simultaneamente decorreu uma exposição de fotografias e desenhos da autoria da nossa comunidade educativa.

A organização do evento foi da responsabilidade do Clube do Ambiente, da Escola Secundária/3 Prof. Dr. Flávio F. Pinto Resende, que contou com a colaboração ativa dos alunos das turmas do 2.º e 3º anos do Curso Técnico Profissional de Turismo Ambiental e Rural.

Com o desenvolvimento desta atividade pretendeu-se sensibilizar e incentivar a comunidade educativa, para a redução da pegada de carbono, através da valorização da floresta, como agente potenciador da máxima “Produzir local, consumir local”, condição necessária para a implementação de uma alimentação cada vez mais sustentável.

publicado por escolaverde às 16:13


fotografia 1 (2).JPG

fotografia 2.JPG

 

fotografia 4 (1).JPG

fotografia 3 (3).JPG

 As plantas aromáticas já têm casa

No âmbito do projeto “Alimentação Sustentável”, aos alunos do segundo ano, do Curso Técnico de Manutenção Industrial - variante Mecatrónica Automóvel, que integram o Clube do Ambiente da Nossa Escola, iniciaram a construção de um abrigo para o cultivo de plantas aromáticas. Para a construção do abrigo foram reutilizados componentes de anteriores construções dando, deste modo, uma nova vida aqueles que, já na anterior vida, tanto tinham contribuído para a nossa realização pessoal.

Com o desenvolvimento desta atividade, pretende-se sensibilizar e incentivar a comunidade educativa, para a redução da pegada de carbono, através da valorização da alimentação sustentável, entendida como fator potenciador da máxima “Produzir local, consumir local”.

publicado por escolaverde às 16:08


1008280.jpg

 O ano de 2015 deverá ser o mais quente desde que há registos, com o termómetro global a atingir um grau Celsius a mais do que na era pré-industrial.

O ano de 2015 deverá ser o mais quente desde que há registos sistemáticos, com o termómetro global a ultrapassar um marco simbólico e preocupante. A temperatura média do planeta será 1oC superior à da era pré-industrial, ou seja, metade do caminho até ao limite de 2oC, acima do qual temem-se consequências catastróficas.

A alta nos termómetros é resultado do efeito dos gases com efeito de estufa, combinado com um fenómeno climático periódico – o El Niño ­– particularmente forte este ano.

Com bases nos dados de Janeiro a Outubro, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) diz que a temperatura média global este ano está já 0,73oC acima da média de 1961-1990 e aproximadamente 1oC acima dos valores de 1880-1899.  Se a tendência se mantiver, será batido o recorde de 2014, que terminou com 0,69oC acima da média de 1961-1990.

 “São más notícias para o planeta”, afirma o secretário-geral da OMM, Michel Jarraud, num comunicado divulgado esta quarta-feira.

A concentração atmosférica de CO2 – o principal gás que está aquecer o planeta – atingiu pela primeira vez uma valor regional de 400 partes por milhão (ppm) na Primavera passada, sobre o Hemisfério Norte. Este número simbólico já tinha sido atingido pontualmente nalgumas estações nos últimos anos, mas nunca se tinha mantido nesse nível durante alguns meses numa escala geográfica maior.

A isto, soma-se um forte El Niño – um fenómeno natural no qual o Pacífico aquece junto à costa Oeste da América do Sul, com efeitos diversos em várias partes do mundo – como secas, cheias e tempestades tropicais. Nos anos deEl Niño, a temperatura média da Terra tende a subir. E prevê-se que o fenómeno de agora ainda se vá intensificar até ao final do ano, com consequências a serem sentidas até 2016.

O ano tem sido prolífico em eventos meteorológicos extremos. As temperaturas médias têm sido mais elevadas em várias partes do mundo. Na China, nunca houve um período de Janeiro a Outubro tão quente como agora.

Muitos países enfrentaram ondas de calor. A OMM cita os casos da Índia, Paquistão e também da Europa, incluindo Portugal – que teve duas ondas de calor em Maio, numa das quais os termómetros chegaram aos 40oC, um valor nunca antes atingido nesse mês no país.

Chuvas fortes e cheias afectaram o sul dos Estados Unidos, o México, a Bolívia e o sul do Brasil. O mesmo aconteceu no sul da Europa, no Malawi. Zimbabwe, Moçambique, Marrocos, Argélia e Tunísia.

Até agora, houve 84 ciclones tropicais – um valor que já está próximo da média mundial de 85 por ano.

Segundo a OMM, 2011-2015 foi o período de cinco anos mais quente desde que há registos.

http://www.publico.pt/ecosfera/noticia/temperatura-da-terra-chega-a-metade-do-limite-para-consequencias-catastroficas-1715538

 

publicado por escolaverde às 15:51


1008649.jpg

Protesto alternativo nas vésperas do início da cimeira da ONU que vai definir um novo tratado internacional para as alterações climáticas.

Se não se pode marchar, que fiquem os sapatos. É isto o que milhares de pessoas vão fazer em Paris no lugar de uma grande manifestação agendada para a véspera da cimeira climática da ONU, na capital francesa, mas proibida pela polícia depois dos atentados terroristas de 13 de Novembro.

A Avaaz, uma das organizações que tinham planeado a grande marcha pelo clima, quer agora cobrir a Praça da República, de onde sairia o protesto, e as ruas adjacentes com os sapatos das pessoas que participariam da iniciativa. “Vão ser centenas de milhares de ‘sapatos andantes’, um par para cada um de nós”, antecipa a Avaaz, na convocatória lançada seu site na Internet

Uma enorme multidão era esperada na marcha pelo clima, prevista para o próximo domingo em Paris. Seria o ponto central de uma série de manifestações semelhantes em vários pontos do mundo – incluindo uma em Lisboa –, para alertar para a necessidade de compromissos imediatos na luta contra as alterações climáticas.

http://www.publico.pt/ecosfera/noticia/sapatos-substituem-marcha-pelo-clima-proibida-em-paris-1715633

publicado por escolaverde às 15:48

Terça-feira, 24 de Novembro de 2015

1007595.jpg

 Tarifa de resíduos deixa de estar indexada à factura da água, num projecto-piloto que quer promover a reciclagem e vai mudar as regras de recolha no centro histórico da cidade.

Os habitantes do centro histórico de Guimarães vão passar a pagar apenas pelo lixo indiferenciado que produzem. No início do próximo ano, arranca um projecto-piloto que pretende estimular a reciclagem e que vai mudar a forma como é cobrada a tarifa de resíduos, actualmente indexada à factura da água. A recolha do lixo na área central da cidade, também passa a ser feita porta-a-porta.

O sistema que vai ser implementado chama-se Pay As You Throw (Paga o lixo que produz, na tradução usada pelo município). Actualmente, a tarifa de resíduos é cobrada juntamente com a factura da água e saneamento e está indexada ao respectivo consumo. A partir de agora, o custo será determinado em função do número de sacos de lixo depositados, garantindo que os habitantes e comerciantes pagam apenas pelos resíduos que produzem. “Rapidamente as pessoas vão perceber que isto é mais justo para elas”, defende a chefe de divisão de serviços urbanos da autarquia, Dalila Sepúlveda, que desenvolveu este projecto.

http://www.publico.pt/local/noticia/em-guimaraes-vai-pagarse-apenas-pelo-lixo-comum-que-e-produzido-1715325

publicado por escolaverde às 16:24

Quinta-feira, 19 de Novembro de 2015

1005487.jpg

O Governo britânico quer encerrar todas as centrais termoeléctricas a carvão até 2025, substituindo-as pela produção de electricidade com gás natural. O anúncio foi feito esta quarta-feira pela ministra da Energia, Amber Rudd, suscitando reacções mistas.

Cerca de 30% da electricidade consumida no Reino Unido vem de centrais a carvão – o mais poluente dos combustíveis fósseis. Encerrá-las terá um efeito positivo na redução de emissões de CO2, o principal gás que está a acelerar o aquecimento do planeta.

Mas a sua substituição por centrais a gás natural – muito menos poluentes, mas ainda assim emissoras de CO2 – é criticada. “Trocar o carvão pelo gás natural é como alguém que troca duas garrafas de whisky por duas de vinho do Porto”, disse Simon Bullock, director do programa da organização ambientalista Amigos da Terra para a área da energia e alterações climáticas.

A aposta nas centrais a gás segue-se a cortes nos subsídios à produção eléctrica renovável em parques eólicos, centrais solares e a partir da queima de biomassa. O Governo argumenta que o custo da tecnologia já caiu substancialmente e que os subsídios às renováveis pesam desnecessariamente na factura da electricidade para o consumidor final.

http://www.publico.pt/ecosfera/noticia/reino-unido-quer-encerrar-centrais-electricas-a-carvao-ate-2025-1714784

publicado por escolaverde às 08:51


1005711.jpg

Governo local declara estado de emergência em 202 municípios. Lama contaminada vai chegar ao mar nos próximos dias.

O governo federal de Minas Gerais, no Brasil, decretou o estado de emergência em 202 municípios da região do Rio Doce afectados pelo recentecolapso da barragem de Fundão, em Mariana. A empresa de exploração mineira Samarco, responsável pelas estruturas, admitiu que outras duas barragens na zona estão em risco de ceder.

O estado de emergência estará em vigor 180 dias e vem facilitar o acesso da população a recursos essenciais, acelerar os trabalhos de reconstrução nas cidades e as operações de emergência da Samarco no reforço de infra-estruturas em risco.

De acordo com a empresa, a barragem de Santarém, nas proximidades, não se rompeu no dia 5 de Novembro, como havia sido divulgado inicialmente, mas sofreu um “galgamento”, transbordando com os resíduos acumulados do Fundão. A estrutura sofreu uma erosão intensa e não oferece agora condições de segurança. O mesmo acontece com a barragem de Germano, onde, segundo o director de operações da Samarco, Kéber Terra, uma dos diques tem o índice de segurança mais baixo em todo o complexo.

O estado de emergência tinha sido solicitado pelo município de Mariana no passado dia 11 de Novembro, devido às consequências que o deslizamento de terras provocou em Bento Rodrigues. A região, a 2,5 quilómetros de distância da barragem, ficou praticamente soterrada - entre oito e dez pessoas morreram e 15 continuam desaparecidas.

http://www.publico.pt/mundo/noticia/ha-mais-duas-barragens-em-risco-de-ceder-no-estado-brasileiro-de-minas-gerais-1714819

publicado por escolaverde às 08:32


mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
20
21

22
23
25
28

29


Últ. comentários
bom trabalho
Gostei muitos de poder ajudar a fazer este trabalh...
Gostei muito do nosso trabalho obrigado a quem gos...
Gostei muito do trabalho elaborado pela nossa turm...
Quero agradecer o texto ,pois estamos todas de par...
Muito obrigado pela oportunidade que nos deram. e ...
Gostei muito do nosso trabalho obrigada por terem ...
Gostei muito do nosso trabalho obrigado por também...
Eu gostei muito do nosso trabalho. Obrigada por t...
Muito giro o nosso trabalho. Obrigada a toda gente...
subscrever feeds